Objetivos

O objetivo a longo prazo da cátedra HUM.CILM é fomentar a pesquisa e a sua aplicação na contribuição específica de Humanidades para a gestão diária da paisagem, cumprindo assim a estratégia da agenda dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, através da capacitação de futuros líderes. Os objetivos específicos visam estabelecer uma rede global de investigação, educação e inovação, para demonstrar o uso específico das Humanidades no quotidiano, potencializar o impacto da produção e partilha de conhecimento e educar novas gerações de líderes qualificados dentro de um quadro de referência transdisciplinar e criativo, que também permitirá que as ciências humanas se conectem diretamente com as ciências naturais e formais, a tecnologia e as artes. Isso será alcançado através de um programa ambicioso que reúne vários projetos parciais em curso e uma rede muito ampla de parceiros académicos e não académicos da Europa, África, América do Sul e Ásia, no quadro da colaboração com o Conselho Internacional para a Filosofia e as Ciências Humanas (CIPSH) e com a UNESCO-MOST (programa Management of Social Transformations).
Trinta anos depois do “Relatório Brundtland”, temos de reconhecer que o nosso planeta está numa posição mais instável e menos sustentável, apesar de todas as intenções. Tornou-se cada vez mais claro que a Sustentabilidade não é uma questão apenas de tecnologia e ciências naturais e sociais, já que valores culturais, tradições, memórias e saberes diversos desempenham um papel decisivo. A interconexão progressiva de diferentes fenómenos disruptivos (stress ambiental, terrorismo, desemprego, xenofobia e outros) é uma ilustração demasiado dramática para ser ignorada, sendo nuclear para o futuro da sociedade, das suas instituições, empresas e dinâmicas. A questão é: podem as Humanidades desempenhar outro papel que não seja o de aconselhamento ou de promoção de estudos comparativos?
A Cimeira Rio + 20, abordando a pobreza como questão central da sustentabilidade, pediu uma revisão do conceito original, indo além da chamada TBL. No entanto, um novo entendimento precisa de ser construído a partir da diversidade cultural humana e um novo quadro de referência é necessário para enfrentar os desafios e convergir com outras iniciativas globais, como “Future Earth”, o “Ano Internacional do Entendimento Global” e a “Conferência Mundial de Humanidades”.
As Humanidades são a base de uma abordagem que será capaz de enfrentar os desafios da Rio + 20 e os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, o que levou à criação desta Cátedra. O seu foco é ligar diferentes domínios científicos dentro de uma abordagem de longo prazo e de um raciocínio complexo, para a sua aplicação concreta a processos territoriais.
Cursos de pós-graduação de várias disciplinas, cursos intensivos, workshops, estágios, publicações, atividades aplicadas e dissertações resultarão de uma estrutura operacional que envolve, desde o início, mais de 15 disciplinas e docentes, investigadores e estudantes de quatro continentes. Todos estarão permanentemente a vivenciar um ambiente académico que está quotidianamente conectado a parceiros não académicos, privados e públicos. Além disso, uma forte estratégia de comunicação contribuirá para disseminar os resultados do projeto, ao mesmo tempo em que envolve a população e vários interessados em projetos aplicados.

^ Topo