Após o dramático longo período das guerras mundiais que terminaram em 1945, a Carta da UNESCO (artigo 1) considerou que a paz deve ser estabelecida com base na solidariedade moral e intelectual da humanidade, visando o progresso social e melhores padrões de vida em maior liberdade. O seu artigo 55 enquadrou as questões económicas e sociais na cooperação cultural e educacional.

O território, num mundo stressante e, muitas vezes em dramática transformação, continua a ser o fundamento que condiciona os vários futuros possíveis para os humanos e, portanto, o terreno para a paz ou para as batalhas. A cátedra concentra-se, principalmente, em quatro dimensões: como os humanos se tornam conscientes e enfrentam dilemas; como isso é condicionado pela resiliência das matrizes socioculturais; como estas interferem na partilha e transformação do conhecimento; e como ferramentas transdisciplinares específicas podem ser projetadas para analisar e oferecer previsões para a sociedade, ancoradas em raciocínios de longo prazo. A alternativa, argumentamos, é a alienação, depois a rutura e, em seguida, a potencialmente extrema violência.

Esta cátedra tem explicitamente como objetivo o de convergir com o programa MOST da UNESCO. O programa MOST está focado na interação entre conhecimento e ação, para promover uma mudança social positiva. Este é precisamente o objetivo da cátedra HUM.CILM. Ela tem como objetivo estar em contato regular com a coordenação do programa MOST, na relação com o seu pilar de investigação e, particularmente, com a sustentabilidade e a partilha de conhecimento envolvendo vários participantes. Mais especificamente, a cátedra procurará orientação do MOST sobre a melhor coordenação com eventuais projetos lançados pela UNESCO no setor de ciências humanas e sociais.

A cátedra HUM.CILM também irá procurar aconselhamento da Comissão Nacional Portuguesa sobre as melhores formas de contribuir para uma estratégia de colaboração entre as cátedras UNESCO e outros projetos da UNESCO, em Portugal.

A atual estratégia de médio prazo da UNESCO é orientada pela preocupação de se concentrar nas suas prioridades centrais e manter a flexibilidade, ao mesmo tempo em que estabelece uma série de objetivos abrangentes e estratégicos. A cátedra HUM.CILM relaciona-se diretamente com o objetivo global de “Desenvolvimento equitativo e sustentável”, uma vez que se refere à questão da gestão das paisagens no contexto da sustentabilidade.

Enquanto o sucesso de políticas sólidas e integrativas de sustentabilidade diminui as ameaças disruptivas e contribui para a paz (o segundo objetivo abrangente da UNESCO), a cátedra está alinhada com as prioridades globais da UNESCO: o equilíbrio de género é considerado em termos de rede de contatos mas, mais do que isso, a filosofia da cátedra HUM.CILM enfatiza a importância de maximizar a diversidade de perspetivas e, portanto, a necessidade de garantir todos os equilíbrios necessários relacionados (género, mas também culturas, regiões, idades, disciplinas e outros); além disso, a rede da cátedra é projetada como parte de uma rede global que envolve partilhas entre o Norte (principalmente europeu) e o Sul-Sul (África, América Latina e Ásia). HUM.CILM responde aos objetivos estratégicos da UNESCO sobre educação ao longo da vida (SO1 - pois faz parte do pilar um da metodologia da cátedra, tal como foi implementado, por exemplo, em Mação, reconhecido em 2016 como membro da “Global Learning Cities Network” da UNESCO, uma estratégia que, a partir de 2019, a HUM.CILM também contribuirá para iniciar no Brasil e em Cabo Verde), de educação para todos (SO3 - dado que os processos de educação inclusiva são um dos componentes do programa), sobre a relevância da ciência e tecnologia (SO4 - pois é nessa linha que a cátedra abrange as ciências naturais e a tecnologia), de cooperação científica internacional (SO5 - a cátedra liga diretamente um grande número de centros de pesquisa) e sobre a relevância do património (SO7 - pelas razões já mencionadas acima).


^ Topo