Conservação e Restauro 3

Conservação e Restauro
5 ECTS; 2º Ano, 1º Semestre, 15,0 T + 60,0 PL + 3,0 OT

Docente(s)
- Fernando dos Santos Antunes

Pré-requisitos
Não aplicável.

Objetivos
Compreender a evolução artística dos retábulos; Conhecer os intervenientes, os materiais e as técnicas de produção; Compreender e identificar as causas de alteração e deterioração dos objectos; Saber elaborar exames técnicos e diagnósticos; Executar ações de conservação e restauro.

Programa
A. RETABULÍSTICA E TALHA: INTERVENIENTES, MATERIAIS E TÉCNICAS DE PRODUÇÃO
1. Breve introdução à história da retabulística e da talha em Portugal
2. Os intervenientes no processo de produção artística
2.1. Os entalhadores
2.2. Os carpinteiros marceneiros
2.3. Os pintores douradores
3. As estruturas e suportes
3.1. As madeiras na talha
3.2. A construção e a arte de entalhar
4. As superfícies
4.1. As camadas de preparações
4.2. As folhas metálicas
4.2.1. A arte de dourar e pratear
4.3. Os pigmentos, ceras, óleos e vernizes
4.4. Outros materiais decorativos: vidros, pedras, tecidos

B. CAUSAS DE ALTERAÇÃO E DETERIORAÇÃO DOS SUPORTES EM MADEIRA
1. Causas de natureza física
1.1. Temperatura e Humidade relativa
1.2. Acção mecânica
2. Causas de natureza química
2.1. Poluentes sólidos líquidos e gasosos
2.2. Reagentes sólidos e líquidos
3. Causas de natureza biológica
3.1. Micro-organismos ? pestes
3.2. Macro-organismos ? pragas
3.3. Animais e plantas daninhos

C. TEORIA DA CONSERVAÇÃO E RESTAURO NA RETABULÍSTICA E TALHA
1. Tipos de intervenção ? preventiva, conservativa e restitutiva
2. Critérios e aspectos a ter em conta

D. FASE PREPARATÓRIA DOS TRATAMENTOS
1. Regras básicas de organização e funcionamento no laboratório e no estaleiro
2. Registo e documentação da obra e processo intervenção
2.1. Execução de registos fotográficos
2.2. Execução de esquemas gráficos
2.3. Execução de desenho-técnico e de mapeamentos
2.4. Preenchimento de Ficha Técnica e Folha-de-Obra
3. Identificação dos materiais e técnicas da obra
3.1. Identificação à vista desarmada
3.2. Identificação macroscópica e microscópica
3.3. Identificação com o recurso a exames e análises
4. Observação e análise do estado de conservação
4.1. Identificação das condições ambientais do local de proveniência da obra
4.2. Identificação das intervenções anteriores
4.3. Identificação de situações passíveis de recurso a exames e análises
5. Discussão dos resultados e elaboração de diagnóstico
6. Formulação de proposta de tratamento

E. TRATAMENTOS DE CONSERVAÇÃO E RESTAURO
1. Tratamento de estruturas e suporte
1.1.Desmontagem de elementos
1.2. Imunização / Desinfestação
1.3. Consolidação
1.4. Estabilização e protecção dos elementos metálicos
1.5. Revisão de ligações e encaixes
1.6. Reconstituição de elementos estruturais
1.7. Ligação e colagem de elementos
1.8. Preenchimento de lacunas
1.9. Reconstituição de elementos em falta
2. Tratamento de superfície
2.1. Pré-fixação e Fixação de estratos de superfície
2.2. Fixação/colagem de elementos decorativos ou de revestimento
2.3. Sistemas de Limpeza
2.3.1. Tipos de limpeza
2.3.2. Testes de solubilização de estratos
2.3.3. Remoção de repintes
2.3.4. Manuseamento de produtos e materiais ? cuidados e protecção
2.4. Preenchimento de lacunas
2.4.1. Nivelamento dos preenchimentos
2.5. Reintegração cromática e pictórica
2.6. Aplicação de camada de protecção

Metodologia de avaliação
Avaliação contínua:
- Ficha Técnica e Folha-de-obra (25%)
- Prova Escrita (época de frequência) (35%)
- Trabalhos práticos (30%)
- Assiduidade e participação nas aulas (10%)

Avaliação final:
- Prova escrita de exame.

Bibliografia
- Alves, N. (1989). A Arte da Talha no Porto na Época Barroca. (Vol. I e II). Porto: Arquivo Histórico
- A.V., . (1991). Gilded Wood-Conservation and history. Connecticut: Sound View Press
- Smith, R. (1962). A Talha em Portugal. Lisboa: Livros Horizonte
- Liotta, G. (1991). Gli Inseti e i dani del legno - Problemi di restauro. Firenzi: Nardini Editore
- Gilded Wood-Conservation and history.(1991, 0 de ---). Gilding Conservaton symposium,

Método de interação
Teóricas: aulas presenciais utilizando o método expositivo com recurso a meios audiovisuais e apresentação de exemplos.
Práticas Laboratoriais.
Orientação Tutorial.

Software utilizado nas aulas
Não aplicável.