Conservação e Restauro 2

 

Conservação e Restauro

5 ECTS; 2º Ano, 1º Semestre, 15,0 T + 60,0 PL + 3,0 OT

Docente(s)
- Ricardo Pereira Triães

Pré-requisitos
Não aplicável

Objetivos
1.Identificar os principais tipos de cerâmicas;
2.Identificar os danos e causas de degradação mais comuns em cerâmicas;
3.Redigir propostas de intervenção;
4.Executar intervenções de conservação e restauro em cerâmicas;
5.Redigir relatórios de intervenção.

Programa
1. A utilização da argila e a produção de cerâmicas
2. A evolução da cerâmica em Portugal
3. Tecnologia dos materiais cerâmicos
3.1. Matérias-primas cerâmicas
3.2. Processo de obtenção dos produtos cerâmicos
4. Deterioração de cerâmicas
4.1. Propriedades dos materiais cerâmicos
4.2. Degradação física
4.3. Sujidade e manchas
5. Diagnóstico, exame e registo
5.1. Diagnóstico
5.2. Exames e análises
5.3. Registo gráfico e fotográfico
6. Equipamentos e materiais para a conservação e restauro de cerâmicas
6.1. Princípios de higiene e segurança
6.2. Manuseamento, acondicionamento e transporte
6.3. Equipamentos, instrumentos e ferramentas de mão
6.4. Materiais utilizados em conservação e restauro
7. Metodologia de intervenção
7.1. Proposta de tratamento
7.2. Tratamento
7.2.1. Remoção de restauros antigos
7.2.2. Limpeza
7.2.3. Consolidação
7.2.4. Colagem
7.2.5. Preenchimento de fissuras, fraturas e pequenas lacunas
7.2.6. Reconstituição volumétrica
7.2.7. Reintegração cromática
8. Análise de intervenções em cerâmicas

Metodologia de avaliação
A avaliação da componente teórica é realizada através de um teste escrito com um peso de 50% na avaliação final.
A avaliação da componente prática laboratorial, com um peso de 50% na avaliação final, tem em conta o trabalho desenvolvido em aula (20%), o comportamento do aluno (10%), e um relatório final sobre o trabalho desenvolvido nas aulas PL (20%).
O aluno que obtiver em frequência nota igual ou superior a 10 valores (no somatório das duas componentes) e um mínimo de 9,5 valores em cada uma das componentes fica dispensado de exame.
Os critérios de avaliação mantém-se para as épocas de exame.

Bibliografia
- Jain, K. e Oakley, V. (2002). Essentials in the care and conservation of historical ceramics objects. London: Archetype Publications
- Oakley, V. e Buys, S. (1993). The conservation and Restoration of ceramics. London: Butterworth
- Ferreira, I. (2009). Azulejos tradicionais de fachada em Ovar: Contributos para uma metodologia de conservação e restauro. Ovar: C. M. Ovar
- AA, V. (2009). Quinta Real de Caxias - História, Conservação e Restauro. Oeiras: C. M. Oeiras

Método de interação
1. Aulas teóricas de modo expositivo dos conteúdos programáticos;
2. Análises de intervenções e discussão das metodologias;
3. Aulas práticas laboratoriais com recurso a demonstrações e execução de trabalhos sobre cerâmicas.

Software utilizado nas aulas
Powerpoint