Designação do projeto: Inspirar, Partilhar e Trabalhar - A vida merece tempo
Código do projeto: POCI-05-5762-FSE-000313
Objetivo principal: Implementar a norma NP4552:2016 que define os requisitos necessários para uma organização implementar, manter e gerir um sistema de gestão da conciliação da vida profissional, familiar e pessoal e obter a certificação do sistema.

Entidade benificiária: Instituto Politécnico de Tomar.

Data de aprovação: 2020-06-09
Data de início: 2020-09-01
Data de conclusão: 2022-02-22
Custo total elegível: 229.550,00 EUR
Apoio financeiro da União Europeia: FEDER 195.117,50 EUR
Apoio financeiro público nacional/regional: 34.432,50 EUR
 
Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos

Objetivos:

  • Aumentar o bem-estar e desenvolver os níveis de satisfação dos membros da comunidade;
  • Criar condições que incrementam a positividade no trabalho;
  • Fomentar autonomia descentralizando as atividades profissionais;
  • Partilhar valores assumindo-os como comuns;
  • Promover os índices de felicidade através da valorização e reconhecimento do trabalho;
  • Proporcionar justiça e respeito.

 

Atividades:

  1. Diagnóstico e Planeamento
    Nesta atividade pretende-se assegurar a elaboração do diagnóstico de acordo com os requisitos da NP 4552:2016, que conduzirá à identificação e implementação de ações mais adequadas às necessidades e requisitos das partes interessadas críticas do IPT e implementar Sistema de Gestão da Conciliação (SGC).

  2. Operacionalização/Implementação
    Nesta atividade serão identificados os recursos a envolver, a comunicação e a operacionalização do planeamento delineado na atividade anterior de forma a concretizar a Política de Conciliação, estabelecendo objetivos, programas, indicadores, metas e recursos, sendo que, de acordo com a NP 4552:2016, esta informação deverá ser documentada e mantida atualizada.

  3. Monitorização e Melhoria
    De acordo com os objetivos de Conciliação do IPT e com o Planeamento previsto para o SGC, serão identificados os pontos de controlo dos riscos associados, os indicadores que necessitam de ser monitorizados e medidos.
    Neste momento, serão realizadas as Auditorias Internas para verificar a adequabilidade do SGC e o seu alinhamento com os requisitos técnicos previstos na NP 4552:2016 e com os que o IPT pretende definir em matéria de Conciliação e serão identificadas as oportunidades de melhoria a implementar e as ações corretivas necessárias para controlar e corrigir não conformidades, de forma, a garantir a melhoria contínua, a pertinência, a adequação e a eficácia do SGC implementado.

  4. Gestão da Mudança e Motivação
    De acordo com os objetivos de Conciliação do IPT e com o Planeamento previsto para o SGC, será realizada uma atividade que incorpora áreas multidisciplinares, designadamente, Gestão da Mudança, Inteligência Emocional, Gestão da Motivação, Tolerância à pressão, Coaching, entre outras.

  5. Certificação
    Após a Revisão pela Gestão e após a implementação das ações corretivas e melhorias propostas no Relatório da Auditoria Interna, o IPT formalizará o procedimento de contratação pública, com convite a entidades certificadoras, selecionando uma a quem efetuará o pedido de certificação com vista a obter a certificação do SGC pela NP 4552:2016.

 

Resultados esperados:
As tipologias de ação e respetivas iniciativas que o IPT pretende obter são as seguintes:

  1. Implementação do Teletrabalho, permitindo aos trabalhadores (quando possível) trabalhar a partir dos respetivos domicílios com recurso a kits de teletrabalho.
  2. Instalação de Quiosques interativos, incluindo software, para disponibilização de informação relativa a informação no âmbito da Conciliação (protocolos com entidades parceiras, divulgação de eventos, entre outra informação) e emissão de vouchers para eventos culturais (festivais, concertos e outras atividades culturais).
  3. Flexibilização de horários de trabalho, permitindo a escolha de horários adaptados em função dos períodos letivos e não letivos e possibilitando a utilização da jornada contínua preferencialmente para os trabalhadores com filhos com idade até 12 anos ou ascendentes/descendentes com necessidades de acompanhamento especial devidamente justificado; flexibilização de horários de trabalho, garantindo o agendamento de reuniões com horário de início e de fim definidos na convocatória e marcados preferencialmente em período previsto para o efeito.
  4. Aumento da rede de parcerias com entidades prestadoras de serviços, nas áreas desportivas, da saúde e bem-estar, cultural, entre outras e alargar o âmbito das parcerias já existentes na aquisição de bens e/ou serviços.
  5. Programa de Bem-Estar Familiar, com a implementação de um conjunto de ações de desenvolvimento pessoal, coaching familiar e/ou parental, vocacional, mentoria em várias abordagens, entre outras áreas.
  6. Planos de Formação Participativos, apelando ao envolvimento ativo dos trabalhadores na identificação de necessidades ajustadas à realidade específica de cada trabalhador e incluir ações específicas no âmbito da Conciliação e possibilitando através de uma Bolsa de Formação que todos os trabalhadores possam manifestar disponibilidade para realizar ações de formação internas (ações, seminários e workshops), desde que exista interesse por parte dos restantes trabalhadores, contabilizando-se as horas como formação interna.
  7. Workshops temáticos dirigidos aos trabalhadores, sobre temas como Alimentação Saudável, Inteligência Emocional, Literacia Digital, Exercício em Contexto Laboral.
^ Topo