Divisão Financeira e Patrimonial

Actividades

A Divisão Financeira e Patrimonial exerce as suas competências nos domínios da gestão financeira, numa perspetiva de gestão patrimonial, orçamental e de controlo financeiro, relativamente ao orçamento do IPT e SAS-IPT, cabendo-lhe designadamente:

  • a produção de informação prospetiva, na área financeira, para auxilio na tomada de decisões por parte dos órgãos de gestão;
  • a elaboração dos mapas económico-financeiros de planeamento anual, proposta de orçamento e relatório de gestão;
  • a coordenação do processo de fecho de contas e a prestação de contas de conformidade com a legislação vigente e normativos internos aplicáveis;
  • a elaboração e submissão dos mapas de reporte à tutela;
  • a gestão orçamental interna e a realização de estudos técnico/contabilísticos;
  • assegurar a aplicação das normas legais, das instruções tutelares e das diretivas dos órgãos de gestão do IPT e SAS-IPT, na atividade económico-financeira da Instituição;
  • proceder à análise e controlo dos princípios contabilísticos, nas vertentes orçamental e patrimonial, de acordo com o SNC-AP;
  • proceder à análise e controlo, relativamente à aplicação, a todo o perímetro da consolidação de contas, das regras e procedimentos de controlo interno, ao nível da contabilidade, património e de tesouraria;
  • assegurar o cumprimento das obrigações fiscais e declarativas da Instituição;
  • estudo, implementação e acompanhamento do processo da contabilidade analítica;
  • assegurar a gestão financeira de Programas e Projetos com financiamento específicos (Portugal2020, FCT, ICA, Ciência Viva, Fundação Calouste Gulbenkian, ERASMUS);
  • controlar e registar as receitas e despesas afetas a Programas e Projetos e prestações de serviços;
  • acompanhar, monitorar, controlar e prestar contas da execução financeira dos Programas e Projetos e prestações de serviços;
  • informar e prestar apoio a todos os intervenientes nos Programas e Projetos e prestações de serviços.
  • processar a faturação de serviços e bens ao exterior;
  • controlar as contas correntes de clientes;
  • controlar e registar o património móvel e imóvel, incluindo o cálculo de amortizações, os autos de abate e os de cessão;
  • assegurar o planeamento e gestão de compras bem como da avaliação de fornecedores;
  • assegurar a gestão do Economato e de stocks;
  • conciliar a informação financeira nas diversas vertentes contabilísticas, tanto ao nível das unidades internas como das entidades externas;
  • controlar todos os meios de pagamento e recebimento da Instituição;
  • identificar e registar a entrada de todas as receitas e despesas no sistema de informação;
  • proceder à conciliação bancária dos movimentos contabilísticos e de tesouraria;
  • controlar os movimentos e saldos bancários de todas as contas bancárias da Instituição.

 

^ Topo