LINE.IPT - Laboratório de Inovação Industrial e Empresarial

Ficha de Projeto - Aquatropolis

 

LINE.IPT - Laboratório de Inovação Industrial e Empresarial

AQUATROPOLIS - Ficha do Projeto SI I&DT

 

Designação do projeto: AQUATROPOLIS – Intelligent Management System for Sustainable Aquacultures

Código do projeto: POCI-01-0247-FEDER-017888

Objetivo principal: Reforçar a investigação, o desenvolvimento tecnológico e a inovação

Região de intervenção: Centro e Alentejo

Entidades benificiárias: Compta (proponente); Domática (copromotor); Instituto Politécnico de Tomar (copromotor); Instituto Politécnico de Leiria (copromotor); Tagusvalley (copromotor); Algaplus (copromotor).

 

Data de aprovação: 2016-07-29

Data de início: 2016-10-06

Data de conclusão: 2018-08-31

Custo total elegível: 1.668.323,90 € (134.582,01 € - IPT)

Apoio financeiro da União Europeia: FEDER 1.233.046,55 € (100.936,50 € - IPT)

Apoio financeiro público nacional/regional: 0,00 EUR

 

Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos:

O "Aquatropolis - Intelligent Management System for Sustainable Aquaculture" tem como objetivo desenvolver uma framework tecnológica disruptiva que permita a gestão, controlo e operação, inteligente, otimizada e automatizada das produções aquícolas multitróficas integradas em regime semi-intensivo, com especial enfoque na produção de peixes ósseos (Dourada e Robalo) e macroalgas. Para tal, a equipa multidisciplinar do consórcio irá tirar proveito de conceitos tecnológicos emergentes com a “Internet of Things” (IoT) e dos sistemas de “fog computing” para promover a interoperabilidade quer entre instrumentação de precisão quer entre equipamentos utilizados no processo produtivo; dos sistemas de “cloud computing” e modelos de distribuição de Software-as-a-Service (SaaS), de modo a retirar todo o proveito dos princípios da “Economia de Partilha” enquanto instrumento para viabilizar a penetração tecnológica em tecidos empresariais emergentes e com baixa capacidade de investimento.

O projeto procura tornar as indústrias aquícolas mais competitivas, evoluindo de um paradigma de produção de base empírica para uma gestão e maneio otimizado por um processo de produção sistemático e tecnologicamente assistido com vista:

> Reduzir riscos por fatores humanos, económicos ou ambientais;

> Reduzir perdas ou mortalidade, gastos com alimentação e energia;

> Reduzir a pressão da atividade económica sobre os ecossistemas naturais;

Para além do elevado potencial de mercado, o “Aquatropolis” contribuirá para promover a eficiência produtiva, segurança e qualidade alimentar, melhor informação ao consumidor e, sobretudo, o controlo de práticas associadas à atividade aquícola no espaço marítimo, assegurando o equilíbrio entre as perspetivas sociais, económicas e ambientais.

 

^ Topo