Auditoria II

Contabilidade
6 ECTS; 3º Ano, 2º Semestre, 30,0 T + 30,0 PL

Docente(s)
- Carlos Fernando Calhau Trigacheiro
- Edgar Ferreira Enes

Pré-requisitos
Não tem pré-requisitos formalmente definidos mas é importante que os estudantes possuam um bom domínio das matérias de Auditoria I e de contabilidade.

Objetivos
Transmissão de uma visão global das diversas fases de um trabalho de auditoria, incluindo o relato aos stakeholders e a verificação do cumprimento das obrigações fiscais.
Relacionar o auditor externo com os órgãos de governo das sociedades, em particular, com o departamento de auditoria interna.

Programa
1. AUDITORIA ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E OUTROS DOCUMENTOS DE PRESTAÇÃO DE CONTAS
A abordagem a efetuar para cada uma das áreas envolve os pontos seguintes:
a) Medidas de controlo interno
b) Objetivos e procedimentos de auditoria
c) Programa de auditoria e principais mapas de trabalho
Áreas a abordar:
1.1. Ativos intangíveis e Propriedades de investimento
1.2. Investimentos financeiros
1.3. Vendas, prestações de serviços e outros rendimentos e dívidas a receber
1.4. Provisões, passivos contingentes e ativos contingentes
1.5. Capital próprio
2. ASPECTOS DE NATUREZA CONTABILÍSTICA A CONSIDERAR NA AUDITORIA ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E OUTROS DOCUMENTOS DE PRESTAÇÃO DE CONTAS
2.1. Ativos intangíveis e Propriedades de investimento
2.2. Investimentos financeiros
2.3. Vendas, prestações de serviços e outros rendimentos e dívidas a receber
2.4. Provisões, passivos contingentes e ativos contingentes
2.5. Capital próprio
3. CONCLUSÃO DA AUDITORIA
3.1. Acontecimentos subsequentes
3.2. Confirmações externas
3.3. Declaração do órgão de gestão
3.4. Ajustamentos e reclassificações
3.5. Apreciação da forma como são apresentadas as demonstrações financeiras
3.6. Revisão do cumprimento das obrigações fiscais
3.7. Revisão global do trabalho
3.8. Normas nacionais e internacionais de auditoria aplicáveis
4. O RELATO EM AUDITORIA
4.1. Importância do relatório para a produção dos efeitos da auditoria
4.2. Princípios gerais a observar na elaboração do relatório
4.3. Certificação legal das contas: objetivos e modelo
4.4. Tipos de opinião em auditoria
4.5. Declaração de impossibilidade de certificação legal das contas
4.6. Outros relatórios e pareceres de auditoria
4.7. Normas nacionais e internacionais de auditoria aplicáveis
5. Auditoria interna
5.1. Objetivos, conceitos e técnicas de auditoria interna
5.2. Auditoria interna e auditoria externa (conceitos, objetivos, cooperação e complementaridade)
5.3. Abordagem operacional da auditoria interna
5.4. Auditoria interna e comunicação: aspetos gerais, oportunidades e compreensão pelos auditados
5.5. Administração de um departamento de auditoria interna: planificação e organização da atividade; pessoal, formação e atividades preparatórias, "On the job training"
5.6. Normas Internacionais para a Prática de Auditoria Interna.

Metodologia de avaliação
Avaliação contínua: trabalho prático (30%) e prova escrita individual (70%), com mínimo de 8 valores nesta prova.
Os alunos não aprovados em avaliação contínua e os que pretenderem melhorar fazem os exames previstos no Regulamento Académico.

Bibliografia
- Baptista da Costa, C. (2010). Auditoria Financeira - Teoria e Prática. Lisboa: Rei dos Livros
- Baptista da Costa, C. e Correia Alves, G. (2011). Casos Práticos de Auditoria Financeira. Lisboa: Rei dos Livros
- Martins, I. e Morais, G. (2013). Auditoria Interna - Função e Processo. (Vol. 1). Lisboa: Áreas Editora
- IFAC, I. (2016). Handbook of International Auditing, Assurance and Ethics Pronouncements. (Vol. 1). New York: IAASB

Método de interação
Aulas teóricas expositivas, onde se descreve e exemplifica a aplicação dos princípios fundamentais.
Aulas práticas, onde se propõe a resolução de casos práticos.
Execução de um trabalho prático de simulação de uma auditoria financeira.

Software utilizado nas aulas
Word e Excel