Conservação e Reabilitação de Edifícios II

Mestrado em Reabilitação Urbana
5 ECTS; 1º Ano, 2º Semestre, 45,0 TP + 4,0 OT

Docente(s)
- Jorge Morarji dos Remédios Dias Mascarenhas
- Maria de Lurdes Belgas da Costa

Pré-requisitos
Frequência da U.C de Conservação e de Edifícios I.

Objetivos
Aquisição de conhecimentos técnicos e científicos no domínio dos materiais e das técnicas envolvidas na manutenção, reabilitação e reforço das construções. Elaboração de propostas de reabilitação.
Preparação tecnológica sólida para a integração em equipas multidisciplinares.

Programa
1. Técnicas correntemente utilizadas na reabilitação de:

1.1. Paredes. 1.1.1. Paredes de alvenaria de pedra natural. 1.1.2. Paredes de tijolo de barro vermelho. 1.1.3. Paredes de adobe. 1.1.4. Paredes de taipa. 1.1.5. Outros tipos de paredes.
1.2. Pavimentos: 1.2.1. Com estrutura de madeira. 1.2.2. Com estrutura de betão. 1.2.3. Com estrutura mista.
1.3. Coberturas: 1.3.1. Coberturas inclinadas. 1.3.2. Coberturas planas. 1.3.3. Abóbadas.
1.4. Revestimentos:1.4.1.Revestimentos de paredes. 1.4.2.Revestimentos de pavimentos. 1.4.3. Revestimentos de tetos.
1.5. Vãos: 1.5.1 Vãos interiores. 1.5.2. Vãos interiores. 1.5.3.Clarabóias.
1.6. Outros elementos.

2. Reabilitação térmica, acústica e de segurança não estrutural em edifícios

2.1. Princípios e requisitos para a reabilitação térmica e acústica de edifícios.
2.2. Tipos de materiais e soluções construtivas, empregues na reabilitação térmica e acústica.
2.3. Aspetos gerais da segurança contra incêndio nas intervenções de reabilitação. 2.3.1. Avaliação do risco de incêndio em edifícios.

3. Outros assuntos a atender no âmbito das intervenções de reabilitação de edifícios
3.1. Tipologia dos edifícios a reabilitar versus técnicas de reabilitação
3.2. Escoramentos e contenções de emergência.
3.3. Execução de estaleiros e andaimes com características específicas para obras de reabilitação urbana.
3.4. Execução de acessos em fachadas para passagem de equipamentos.
3.5. Demolições parciais e seletivas e reutilização de componentes.
3.6. Técnicas de contenção de fachadas.
3.7. Acessibilidades: soluções técnicas
3.8. Abordagem às várias técnicas de reabilitação de fundações diretas e indiretas.
3.9. Correção de desvios de nivelamento dos edifícios.
3.10. Execução de caves e pisos enterrados.
3.11. Acrescento de pisos em edifícios.
3.12. Renovação de cozinha e de instalações sanitárias
3.12 Requalificação funcional dos edifícios

Metodologia de avaliação
A avaliação consiste numa Prova Escrita (45%),com a classificação mínima de 9,5 valores, na apresentação de um trabalho (20%), a desenvolver nas aulas práticas e num trabalho final (35%) sobre aplicação de técnicas de reabilitação.

Bibliografia
- Freitas, V. e Abrantes, V. (2009). Patorreb 2009. (Vol. I e II). Porto: FEUP
- Abrantes, V. e Freitas, V. (2006). Patorreb 2006. (Vol. I e II). Porto: FEUP
- Mascarenhas, J. (2012). Reabilitação Urbana. (Vol. XIII). Lisboa: Livros Horizonte
- Freitas, V. (2102). Manual de Apoio à Reabilitação de Edifícios. Porto: Ordem dos Engenheiros

Método de interação
Apresentação dos conceitos fundamentais relacionados com os temas referidos. Apresentação de projetos e de casos práticos que permitam a intervenção crítica do aluno.
Realização de trabalhos sobre aplicação de técnicas de reabilitação.

Software utilizado nas aulas