Manutenção Industrial

Engenharia Mecânica
5 ECTS; 2º Ano, 2º Semestre, 15,0 T + 30,0 TP + 15,0 TC + 3,50 OT

Docente(s)
- António Jorge Martins de Araújo Gomes
- Jorge Manuel Afonso Antunes
- Flávio Rodrigues Fernandes Chaves

Pré-requisitos
Conhecimentos de Estatística e Fiabilidade´.

Objetivos
Ministrar ao alunos conhecimentos de Gestão da Manutenção. Dotar os alunos com ferramentas capazes de organizar e/ou gerir um departamento de manutenção.

Programa
1. Introdução à Manutenção Industrial :
1.1. Definição de Manutenção;
1.2. Função da Manutenção na Indústria
1.3. Objetivos de uma Organização de Manutenção;
1.4. Organigrama Funcional da Organização de um Serviço de Manutenção
1.5. Tipos de Manutenção;
1.6. Tempos relativos à Manutenção;
1.7. Fiabilidade Manutibilidade, Disponibilidade;
1.8. Diferentes formas de Manutenção: Manutenção Curativa e Manutenções Preventivas;
1.9. Outras atividades do Serviço de Manutenção;
1.10. Seleção do tipo de Manutenção a utilizar.
2. Conhecimentos dos Equipamento:
2.1. Natureza e Classificação de Equipamentos;
2.2. Níveis de Análise de Equipamentos;
2.3. Histórico do Equipamento.
3. Comportamento dos Bens ou Equipamentos:
3.1. Definição de avaria;
3.2. Estudo de um sistema;
3.3. Taxas de Avarias;
3.4. Exploração dos Relatórios de avarias;
3.5. Diagramas de Pareto;
3.6. Curva de Fiabilidade dos Sistemas.
4. Manutenção centrada na Fiabilidade:
4.1. Definição de fiabilidade;
4.2. Definição de falha;
4.3. Fiabilidade intrínseca e extrínseca;
4.4. Requisitos de Fiabilidade;
4.5. Ciclos de vida de um órgão;
4.6. Etapas da Fiabilidade;
4.7. Medição da Fiabilidade;
4.8. Curva de mortalidade (ou de sobrevivência);
4.9. Distribuições estatísticas mais comuns na representação da vida esperada;
4.10. Dimensão de uma amostra, tempo de ensaio, nível de confiança.
5. Manutibilidade e Disponibilidade:
5.1. Definição de manutibilidade;
5.2. Tempos Técnicos de Reparação;
5.3. Noção de Disponibilidade;
5.4. Modelos de Disponibilidade;
5.5. Fiabilidade Previsional.
6. Análise dos Custos de Manutenção:
6.1. Importância da Análise de custos;
6.2. Custos Diretos e Indiretos;
6.3. Modelo de Análise de Amortização;
6.4. Diferentes Custos segundo o tipo de Manutenção.
7. Preparação das Ações de Manutenção:
7.1. Tabela de Criticidade dos Equipamentos;
7.2. Utilização de uma curva ABC;
7.3. Preparação da Manutenção Corretiva;
7.4. Preparação da Manutenção Paliativa;
7.5. Preparação dos Trabalhos de Reparação;
7.6. Preparação de Ações Preventivas;
7.7. Preparação da Manutenção de Ronda;
7.8. Preparação da Manutenção Sistemática;
7.9. Preparação da Manutenção Condicionada.
8. Função Planeamento:
8.1. Os cinco Níveis do Planeamento;
8.2. Carácter Específico do Planeamento dos Trabalhos de Manutenção;
8.3. Procedimentos Relativos aos Trabalhos de Manutenção.
9. Gestão do Serviço de Manutenção:
9.1. Modelo Iterativo de Gestão;
9.2. Descrição de Indicadores de Gestão;
9.3. Gestão de Stocks de Peças de Substituição;
9.4. Gestão de Peças de Gasto Frequente;
9.5. Gestão de Peças de ?Segurança?;
9.6. A Manutenção e os Mercados Externos.
10. A Política de Manutenção:
10.1. Escolha dos Objetivos Técnico Económicos;
10.2. Escolha do Método de Manutenção a Aplicar;
10.3. Otimização do Nível de Preventiva a utilizar;
10.4. Equipamentos Reparáveis;
10.5. Otimização do período de Substituição;
10.6. Substituição de Equipamentos;
10.7. Custo de Posse de um Equipamento.

Metodologia de avaliação
Os alunos são avaliados por meio de provas escritas (75%)e pelo(s) relatório(s) dos trabalhos de campo(25%).

As provas escrita são testes e/ou exames. A prova escrita terá um mínimo de 7,0 valores para aprovação.

Bibliografia
- Ferreira, L. (1998). Uma introdução à manutenção. (Vol. .). (pp. 1-193). Portugal: Publindústria

Método de interação
Nas aulas teóricas e teórico-práticas descreve-se e exemplifica-se os conteúdos programáticos; e propõem-se resolução de casos práticos. Nas aulas trabalho de campo realizam-se visitas de estudo acompanhadas de Workshops com oradores convidados.

Software utilizado nas aulas
Excel