Caracterização do Património Edificado

Mestrado em Reabilitação Urbana
5 ECTS; 1º Ano, 1º Semestre, 15,0 T + 30,0 TP

Docente(s)
- Jorge Morarji dos Remédios Dias Mascarenhas
- Inês Domingues Serrano

Pré-requisitos
Não aplicável

Objetivos
Procura-se dar uma panorâmica da evolução dos estilos arquitetónicos e das técnicas de construção vernacular e erudita de forma que, o futuro profissional quando tenha de intervir numa zona urbana ou num edifício compreenda a sua importância e respeite os valores culturais em causa.

Programa
1-Introdução
2-História das cidades e a evolução urbana
Traçado e organização das cidades
3-Arquitectura Erudita
(Contexto, tipologias, caracterização arquitetónica, caracterização construtiva e nomenclatura)
3.1-Antiguidade Clássica (Grécia e Roma)
3.2-Arquitectura Bizantina e Românica
3.3-Arquitectura Gótica
3.4-Renascimento
3.5-Classicismo e Barroco (sec.XVII-XVIII)
Iluminismo (Baixa Pombalina)
3.6-Neoclássicos e os historicismos
3.7-Portugal: 1850-1910
3.8-Os movimentos avant-garde e o modernismo
3.9-Portugal no séc.XX
3.10-Arquitectura contemporânea ? entre o ?genérico e o delirante?
4-Arquitectura vernacular portuguesa
Edifícios de habitação urbanos
Moinhos
Construções rurais
Casas senhoriais
5-Técnicas tradicionais de construção
6-Evolução de alguns sistemas urbanos
Abastecimento de águas, pontes, estradas, jardins, transportes e sistemas de esgotos
7-História de alguns materiais aplicados na construção
8- Nomenclatura da Arquitectura e da construção





8- Nomenclatura da Arquitectura e da construção

Metodologia de avaliação
Por apresentação de 2 trabalhos

-Caracterização construtiva da arquitetura vernacular Portuguesa (máximo 40 páginas)
-Comentário sobre a história da Arquitectura
A avaliação é contínua

Bibliografia
- Mansel, G. (1997). Anatomia da Arquitectura. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico
- Nuttgens, P. (2006). Architecture from the first civilizations to the present day. Londres: Mitchell Beazley
- AA, A. (1988). Arquitectura Popular Portuguesa. (Vol. I, II ,III). Lisboa: Associação dos Arquitectos Portugueses
- Puig Grau, A. (1990). Síntese dos Estilos Arquitectónicos. Lisboa: Plátano

Método de interação
As aulas são leccionadas com recurso a inúmeras ilustrações que salientam a evolução da técnica e dos estilos. É sempre posta uma forte tónica nos processos construtivos ligados ao contexto sócio-económico e à lógica construtiva.

Software utilizado nas aulas
Não aplicável