Saídas profissionais

 

O detentor do grau de mestre, após a conclusão de dois ciclos de estudos em Conservação e Restauro, com uma formação, no total, de 5 anos (licenciatura+mestrado), está em condições de aceder à profissão de conservador-restaurador de acordo com as normas e recomendações internacionais da área da Conservação e Restauro, nomeadamente Rede Europeia para o Ensino da Conservação e Restauro (ENCoRE), de que o IPT faz parte, e da Confederação Europeia de Organizações de Conservadores-Restauradores (ECCO).

O detentor do grau de mestre pode orientar qualquer intervenção de Conservação e Restauro, designadamente em bens culturais classificados ou em vias de classificação – o que, segundo a legislação portuguesa, só é possível para quem tem 5 anos de formação em Conservação e Restauro (Decreto-Lei n.º 140/2009) e 5 anos de experiência profissional após a obtençaõ do grau.

A acção do mestre em Conservação e Restauro, que, além da Conservação e Restauro propriamente dita, abrange a salvaguarda, a valorização e a preservação dos bens culturais, pode desenvolver-se em entidades da administração central e local, museus, Misericórdias, fundações, monumentos, palácios, igrejas, conventos, sítios arqueológicos, antiquários, leiloeiros, transportadoras de bens culturais, empresas de gestão de bens culturais, gabinetes de projecto para conservação e restauro do património e laboratórios de investigação científico-tecnológica.