Gestão e Coordenação de Obras

Mestrado em Reabilitação Urbana
5 ECTS; 2º Ano, 1º Semestre, 45,0 TP

Docente(s)
- Luis Filipe Rocha de Almeida

Pré-requisitos
Não aplicável

Objetivos
Desenvolver uma visão integrada do ato de construir, do processo construtivo e dos intervenientes, nas etapas a montante da construção. Desenvolver actividades técnicas e estratégias de gestão, que permitam a concretização de objectivos no domínio da reabilitação urbana, na realidade portuguesa.

Programa
Introdução à gestão de projetos de reabilitação. Gestão de projetos de reabilitação de obra. Caracterização da Actividade Construção na Reabilitação. Perspetivas e evoluções do sector da reabilitação em Portugal. Síntese do processo construtivo na reabilitação: etapas e principais tarefas, intervenientes e funções, situação portuguesa ? diagnóstico, debilidades e ações de melhoria. Objetivos, princípios, âmbito e os instrumentos de atuação, os mecanismos de financiamento e os papéis dos vários atores nos processos de reabilitação urbana. Conceção e Projeto. Introdução às técnicas de Gestão e Coordenação de Projetos. Qualidade no processo construtivo aspetos particulares na Reabilitação Urbana.

Metodologia de avaliação
Avaliação é feita com base na classificação obtida na prova escrita e num trabalho.
A classificação final será obtida através da média pesada entre o trabalho (75%) e a prova escrita (25%), sendo obrigatória a obtenção de nota mínima de 9,5 valores em 20 qualquer uma das partes.
A realização do trabalho é obrigatória para a admissão à prova escrita.

Bibliografia
- Abrantes, V. (1994). Qualidade na construção. Porto: Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto
- Lei nº 31/2009.(2009, 3 de julho). Diário da República Portuguesa, pp. 4276-4285.
- Lei nº 60/2007.(2007, 4 de setembro). Diário da República Portuguesa, pp. 6258-6309.
- Decreto-Lei nº 18/2008.(2008, 29 de janeiro). Diário da República Portuguesa, pp. 753-852.

Método de interação
Exposição dos conteúdos programáticos, complementada, sempre que possível, através de meios que permitam ilustrar os aspetos em análise. Apresentação de casos e seminários. Realização pela parte do aluno de trabalhos com base em casos de estudo.

Software utilizado nas aulas