Introdução e Metodologia de Prospeção Arqueológica em Meio Submerso

Pós-Graduação em Arqueologia Subaquática

4 ECTS; 1º Ano, 1º Semestre, 15,0 T + 15,0 TP

Docente(s)

Pré-requisitos
Não aplicável

Objetivos
Pretende-se que os alunos compreendam conceitos de arqueologia subaquática e adquiram competências no domínio da teoria e prática da metodologia de prospeção arqueológica, sejam capazes de optar e aplicar uma metodologia a qualquer caso e saibam reconhecer vestígios arqueológicos subaquáticos.

Programa
1. A arqueologia subaquática: conceitos
O que é a arqueologia subaquática?
Etimologia e as várias arqueologias
A atividade arqueológica e a informação histórica
Propósitos essenciais e objetivos da arqueologia
Arqueologia terrestre vs arqueologia subaquática
O contexto e a estratigrafia

2. A relação do homem com o mar. A conquista do mundo submerso.
As embarcações e os instrumentos: História e desenvolvimento
As investidas e a curiosidade sobre o fundo do mar: As 0rigens
O impulso dos mecanismos de mergulho: O renascimento
As grandes investigações sobre o fundo do mar e os mecanismos autónomos
História da Arqueologia Subaquática em Portugal

3. O património arqueológico subaquático
A Arqueologia Subaquática ? origem e legislação
Arqueologia Subaquática em Portugal
Categorias básicas na arqueologia subaquática
Implicações num estudo de uma estação arqueológica
A interdisciplinaridade
Processos pós-deposicionais em meio subaquático
Ambiente e Processo de formação do sítio
Questões da dinâmica sedimentar da costa
Contextos arqueonáuticos portugueses

4. Os diferentes tipos de estações arqueológicas subaquáticas.
Causas de origem das estações arqueológicas
Os diferentes tipos e alguns exemplos
A compreensão de uma estação subaquática náutica, segundo Patrice Pomey
A cultura material: conceitos básicos e metodologias de estudo na interpretação dos artefactos

5. A localização das estações arqueológicas: A prospeção
Como realizar uma prospeção: O planeamento
Métodos de investigação na prospeção arqueológica submarina
Prospeção Direta/Indireta
Prospeção Seletiva/Extensiva
Equipamento de apoio à prospeção, mecanismos usados e utilização
O resultado e interpretação de mapas sonares
Critérios, vantagens e desvantagens dos diferentes métodos
As sondagens
Localização e sistema de posicionamento
Orientação e navegação subaquática
Sistema de registo

6. A preservação dos vestígios ? legislação

Metodologia de avaliação
Dois períodos de avaliação: frequência e Exame.
Frequência - A avaliação é considerada sobre teste teórico por e-learning 80%, mais a participação nas aulas 20%.
Exame - A avaliação é considerada sobre teste teórico - 100%

Bibliografia
- Archaeology, E. (2008). "MARITIME ARCHAEOLOGY". Retrieved 17 Jan 2013.. (Vol. 1). Oxford:: Elsevier Science & Technology,
- Delgado (ed), J. (1997). British Museum Encyclopaedia of Underwater and Maritime Archaeology. London: British Museum Press,
- Withgott,, J. e Scott Brennan, J. (2007). Environment: the science behind the stories.. San Francisco: Pearson Benjamin Cummings,

Método de interação
Ensino à distância com apresentação dos conteúdos de forma expositiva e aplicação de metodologias pedagógicas ativas, nomeadamente de discussão de dados e ideias, preenchimento de questionários, revisões de matéria com questionários diretos, etc.

Software utilizado nas aulas
Elearning; Plataforma à distância BBB; Powerpoints, office Word, e outros que se considere necessário ao bom funcionamento das aulas.

 

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável