História das Artes e da Comunicação

Design e Tecnologia das Artes Gráficas, Publicação em Diário da República - Despacho nº 3359/2013 - 01/03/2013

4 ECTS; 1º Ano, 1º Semestre, 45,0 T + 3,0 O

Docente(s)

Pré-requisitos
Não aplicável.

Objetivos
1. Conhecer os grandes horizontes da história do design nas artes gráficas, integrados na evolução da arte e da comunicação, abordando as várias modalidades da ilustração gráfica;
2. conhecer as principais fases da história do livro;
3. conhecer as metodologias para elaboração de uma monografia.

Programa
1. Preliminares (Comunicação; Linguagem e Linguagens; Símbolos):
1.1. Comunicação:
1.2. Linguagem e Linguagens
1.3.Os Símbolos na história da imagem e do design
1.4. Dos signos visuais aos signos linguísticos
1.5. A pré-história da humanidade e das artes gráficas: a lenta evolução da linguagem gestual, iconológica e verbal
2. A linguagem verbal gráfica: escrita e escritas:
2.1. Escrita e escritas: no limiar da História
2.2. Das línguas à grafia, no panorama das grandes civilizações
2.3. Dos pictogramas aos ideogramas
2.4. As escritas alfabéticas e os seus impactos civilizacionais

3. A arte nas Artes Gráficas
3.1. A Arte:
3.1. 1. Aspectos Gerais:
3.1.1.1. reflexões em torno do conceito de arte
3.1.1.2. A Arte como Linguagem
3.1.1.3. Arte e Artes: os ensaios de uma tipologia
3.1.2. A Arte no Tempo: marcos convencionais e panoramas históricos
3.1.2.1. na Antiguidade
3.1.2.2. na Idade Média
3.1.2.3. na Idade Moderna
3.1.2.4. na Idade Contemporânea (o século XIX e primeira metade do século XX)
3.2 As Artes Gráficas: breves referências históricas
3.2.1. A Iluminura
3.2.2. A gravura
3.2.3. A fotografia

4. A história do livro, das Origens às Luzes: Principais coordenadas


4.1. O livro na Antiguidade
4.1.1. Oriental: modalidades de escrita, suportes e formato
4.1.2. Clássica:
4.1.2.1 A conjugação da cultura greco-romana com os horizontes judaico-cristãos
4.1.2.2. O fim do mundo antigo no ocidente do império: a longa transição para a Europa feudal
4.1.2.3. A afirmação gradual do pergaminho e a transição para o códex
4.1.2.4. As mais importantes bibliotecas antigas


4.2. O livro na Alta Idade Média (séc. V-VIII)
4.2.1. O contexto e a cultura: os principais acontecimentos, das invasões bárbaras ao advento do Islão
4.2.2. A produção monástica: principais centros; copistas e iluminadores; tipologia e temáticas

4.3. O Livro na Média Idade Média (séc.IX-XI)
4.3.1. O contexto e a cultura: o império de Carlos Magno e o seu simbolismo, político, cultural e artístico
4.3.2. Os livros carolíngios (caligrafia, iluminuras, encadernações e temáticas)
4.3.3. As Três Civilizações do Livro e a importância dos Escritos Sagrados na referida indústria (no mundo cristão, judaico e islâmico)

4.4. O Livro na Baixa Idade Média (séc.XII-XV)
4.4.1. Breves referências ao contexto da cultura: a Europa das cidades e das Universidades; a teocracia pontifícia e o declínio gradual do poder do papa; a formação das nacionalidades a partir do século XII e a afirmação do poder régio nos séculos XIV e XV
4.4.2. Os impactos do ensino e da secularização da cultura na produção de livros: os manuais académicos; as Enciclopédias do século XII e as Sumas do século XIII
4.4.3. O advento do papel.
4.4.4. Novas técnicas e centros de produção: escolas e universidades
4.4.5. Os principais códices medievais iluminados em Portugal

4.5.O Livro no Renascimento: o contexto da cultura:
4.5.1. Renascimento e Renascimentos
4.5.2. As grandes alterações no contexto europeu e os seus impactos
4.5.3.O contributo ibérico e, em particular, português: o rasgar do mundo (a projecção na cartografia e nos livros iluminados)

4.6. O livro e a imprensa:
4.6.1. O advento da Imprensa: técnicas, inventores, difusão e primeiros impactos
4.6.2. As primeiras oficinas em Portugal e a sua produção
4.6.3. A sobrevivência dos livros manuscritos como objecto de arte e de luxo; os incunábulos
4.6.4. As marcas do Renascimento nas iluminuras dos códices manuelinos
4.6.5. Breves referências a Livros com História: os grandes êxitos da imprensa e o seu papel catalisador nos grandes acontecimentos da época: Renascimento, advento da ciência, Descobertas, Reforma Protestante e Católica
4.6.6. Os primórdios da imprensa periódica no século XVII, na Europa e em Portugal

4.7. Os Impactos das Luzes na Imprensa:
4.7.1. O contexto: os novos padrões culturais, mentais e sociopolíticos, na Europa e em Portugal
4.7.2. O Livro e a Imprensa Periódica, da ciência à Revolução Industrial: as repercussões tecnológicas na arte de imprimir; um papel social e político

Metodologia de avaliação
Os alunos deverão realizar uma avaliação escrita e um trabalho monográfico (valendo cada 50%), podendo dispensar do exame se obtiverem uma média de 10. O trabalho deverá integrar-se nas propostas feitas em aula e obedecer a um calendário nas suas etapas.
Na época de exame, não haverá obrigatoriedade de apresentação de trabalho, correspondendo a nota final à nota do exame; salvaguarda-se, porém, para os alunos que fizeram o trabalho, a possibilidade de fazer-se a média com o mesmo se o resultado os beneficiar (valendo, nesse caso, 50% cada).

Bibliografia
- BACKHOUSE, J. (1979). The Illuminated Manuscript. (Vol. 1). Singapura: Hardback BOOK
- BOLOGNA, G. (2000). Illuminated Manuscripts, The Book Before Gutenberg. (Vol. 1). Milão: London : Thames and Hudson
- Svend, D. (1994). Historia del Libro. Madrid: Alianza Editorial
- FEBVRE, L. (2000). O Aparecimento do Livro. Lisboa: Fundação Gulbenkian

Método de interação
1. Aulas de cariz mais teórico, acompanhadas de projecção de textos e imagens que os alunos deverão interpretar;
2. Aulas de cariz mais prático, com indicações metodológicas para o trabalho monográfico, que será acompanhado individualmente.

Software utilizado nas aulas
Não aplicável