Conservação e Reabilitação de Edifícios I

Mestrado em Reabilitação Urbana
5 ECTS; 1º Ano, 1º Semestre, 45,0 TP + 4,0 OT

Docente(s)
- Maria de Lurdes Belgas da Costa

Pré-requisitos
Não Aplicável

Objetivos
Conhecimento do processo patológico das construções e dos fenómenos físicos que lhe estão associados.
Conhecer metodologias e técnicas de avaliação das anomalias. Aquisição de conhecimentos técnicos e científicos sobre materiais e técnicas de manutenção, reabilitação e reforço das construções.

Programa
1. Introdução: A reabilitação de edifícios: introdução, conceitos e definições; Considerações sobre a natureza histórica e ética das intervenções de reabilitação; Princípios gerais a considerar na conceção de uma intervenção; Cartas patrimoniais; Exigências a verificar em intervenções de reabilitação.
2. Mecanismos gerais de degradação dos materiais, elementos construtivos e estruturais: Conceito de vida útil das construções; Conceito de patologia; Processo patológico: fatores de degradação dos materiais e dos elementos construtivos - humidade; Etapas de degradação e critérios de intervenção.
3. Levantamento e diagnóstico: Metodologias de inspeção e diagnóstico; Técnicas de avaliação e diagnóstico; Técnicas experimentais de auxílio; Caracterização do estado dos edifícios; Elaboração de relatórios de inspeção.
4. Patologias dos materiais: Betão, Betão Armado: Processos fiscos e processos químicos de degradação; corrosão de armaduras; Madeiras: processos e fatores de degradação das madeiras; tratamentos de proteção e de conservação.
5. Novos materiais nas intervenções de reabilitação: materiais compósitos, perfis pultrudidos, aço leve, madeira lamelada colada materiais de mudança de fase, nanomateriais, entre outros.
6. Anomalias recorrentes em elementos da envolvente dos edifícios: no edificado de construção recente; em edifícios antigos.
7. Anomalias em revestimentos e acabamentos: Principais manifestações; anomalias características dos principais tipos de revestimentos e acabamentos.
8. Materiais e tecnologias de reabilitação de edifícios: Intervenções com materiais e técnicas tradicionais; Intervenções com novos materiais e novas tecnologias. Reparação de anomalias não estruturais. Generalidades; Eliminação das anomalias; Substituição dos elementos e dos materiais afectados; Ocultação das anomalias; Proteção contra agentes agressivos; Eliminação das causas das anomalias; Reforço das características funcionais.
9. Enquadramento legal da reabilitação: Legislação aplicável; Programas de apoio à conservação e reabilitação de edifícios.
10. Apresentação de casos práticos

Metodologia de avaliação
A avaliação consiste num teste escrito (55%)e um trabalho prático (45%). O trabalho é um relatório técnico, resultante de visitas regulares a uma obra de reabilitação de um edifício, ou no levantamento e estudo das anomalias de um edifício degradado.

Bibliografia
- Cóias, V. (2007). Reabilitação Estrutural de Edifícios Antigos ? Alvenaria, Madeira. (Vol. 1). Lisboa: GECoRPA
- Vasconcelos Paiva, J. e Pinho, A. (2006). Guia Técnico de Reabilitação Habitacional. (Vol. 2 Vol.). LNEC: Instituto Nacional da Habitação
- Cóias, V. (2006). Inspecções e Ensaios na Reabilitação de Edifícios. (Vol. I). Lisboa: IST PRESS
- Silva, V. (2004). Guia Prático para a Conservação de Imóveis. (Vol. I). Lisboa: Dom Quixote

Método de interação
Apresentação de conceitos. Apresentação de projectos e de casos de estudo que permitem a intervenção crítica do aluno. Uso de equipamento de laboratório disponível para a detecção de anomalias. Realização de visitas de estudo e de sessões técnicas.

Software utilizado nas aulas
Não aplicável