Conservação e Restauro Aplicada

Mestrado em Conservação e Restauro
ECTS; º Ano, , 0,0 T + 0,0 PL + 0,0 TP + 0,0 P + 0,0 TC + 0,0 S + 0,0 E + 0,0 OT + 0,0 O

Docente(s)

Pré-requisitos
Não aplicável.

Objetivos
Pretende-se que o aluno desenvolva a sua autonomia numa especialidade da Conservação e restauro.
Deverá saber realizar trabalhos de diagnóstico, exame e registo, identificação e propostas de intervenção em bens móveis e integrados.
Elaborar relatórios de intervenção de conservação e restauro.

Programa
1. Definição das especialidades: Documentos gráficos, Materiais Pétreos, Materiais cerâmicos, Escultura, Pintura de cavalete e Mobiliário
2. Funcionamento dos laboratórios
3. Definição e desenvolvimento de uma metodologia de intervenção
4. Intervenção de C&R sobre bens culturais móveis ou integrados
5. Elaboração de relatório
6. Seminários em C&R e execução de trabalho de reflexão.

Metodologia de avaliação
A avaliação TP é definida por um trabalho escrito (20%).
A avaliação PL é definida pelo trabalho desenvolvido em aula e pelo relatório final sobre a intervenção (80%).
A aprovação implica uma nota igual ou superior a 10 valores, após ponderação.

Bibliografia
- AAVV, . (2001). As rochas dos monumentos portugueses ? tipologias e patologias. (Vol. 1). Lisboa: IPPAR
- Ferreira, I. (2009). Azulejos tradicionais de fachada em Ovar: Contributos para uma metodologia de conservação e restauro. Ovar: Câmara Municipal de Ovar
- Brandi, C. (1988). Teoría de la Restauración. Madrid: Alianza Editorial
- Serrão, V. e Figueira, L. e Almada, C. (2000). História e restauro da pintura do retábulo-mor do Mosteiro dos Jerónimos. Lisboa: IPPAR

Método de interação
As aulas TP são desenvolvidas quer através de aulas de seminário com especialistas convidados ou em visitas de estudo/Trabalho. Nas aulas práticas laboratoriais são desenvolvidos trabalhos de conservação e restauro sobre bens culturais.

Software utilizado nas aulas