Cinema Experimental

Video e Cinema Documental
5 ECTS; 3º Ano, 1º Semestre, 30,0 T + 30,0 TP + 3,0 OT

Docente(s)

Pré-requisitos
Não aplicável.

Objetivos
a) Desenvolver um percurso semi-histórico pelo Cinema Experimental,
b) Compreender as técnicas, os motivos, os desenvolvimentos e aportações
c) Compreender a relação entre movimentos artísticos e autores
d) Estimular o desenvolvimento autoral e experimental

Programa
1.Os complexos anos 20. O cruzamento de movimentos artísticos interligados, tendências e artistas. Futurismo, dadaísmo, surrealismo, e a convivência de diferentes formas de arte: dança, pintura, poesia, música, escultura, moda e literatura. Análise especifica das vanguardas francesa e alemã. As experiências soviéticas. Cinema abstracto, cinéma Pur e cinema absoluto. O cinema como forma de arte, não-narrativo.
2.Uma nova visão para documentar os factos. A relação do filme com os compositores musicais modernos. O simbolismo e a abstracção.
3.A influência da psicanálise. A inexplicável lógica do sonho. As raízes do surrealismo que perduram até aos dias de hoje.
4.A chegada do filme sonoro massifica a sua existência e afasta os experimentalistas de encontro a uma nova abordagem ao documentário. O GPO britânico.
5.O papel principal dos EUA nesta vanguarda. A democratização do equipamento - a câmara de 16mm. As montagens abstractas e as narrativas desconstruidas. Documentário de autor, Cinema directo.
6.Na ressaca da 2ª Guerra emerge o filme das marginalidades, da performance agressiva, da confrontação. A poesia "Beat" e a sua influência.
7.Depois do populismo do Underground, era necessário explorar novas ideias visuais e cognitivas em relação a uma estrutura e a um processo. O filme experimental entra num território mais filosófico. Combinação de premeditação e acaso nas filmagens.A percepção/sensação da audiência. O "materialismo-estrutural" britânico.
8.O foco na parte visual, abandonando uma estrutura a favor da simplicidade e "anti-arte". Fluxus referencia o filme pelo humor, diminuindo a importância das elites e instituições, silenciando a noção de arte como um dom ou profissão.
9.O Pós-modernismo como um pluralismo difuso. O último movimento de cinema experimental unificado.
10.Cinema Arte - Derek Jarman e Peter Greenaway. A arte electrónica e a video-arte. Young British Artists.

Metodologia de avaliação
Assiduidade -10%
Trabalho 01 -Vanguardas(Out)10%
Trabalho 02 -Narrativa disruptiva(Nov)20%
Trabalho 03 -Arte e Performance(Dez)20%
Trabalho final - Documentário experimental 40%

Época Normal/Recurso/Especial
Prova escrita 50% + Trabalhos 50%

Bibliografia
- Rees, A. (2011). A History of Experimental Film and Video. Londres: British Film Institute
- Adams Sitney, P. (2002). Visionary Film: The American Avant-Garde, 1943-2000. Oxford: Oxford University Press
- O'Pray, M. (2003). Avant-Garde Film: Forms, Themes and Passions. New York: Columbia University press - Wallflower Press
- Audrey Foster, G. e Winston-Dixon, W. (2002). Experimental Cinema, The Film Reader. London: Routledge

Método de interação
A - Exposição oral
B - Visionamento participativo de Filmes
C - Exercícios fílmicos

Software utilizado nas aulas