IPT Logotipo do IPT

TeSP - Segurança e Proteção Civil

Incêndios urbanos, florestais e industriais

<< voltar ao Plano Curricular

Publicação em Diário da República: Despacho n.º 12802/2021 de 29/12/2021

5 ECTS; 2º Ano, 1º Semestre, 30,0 PL + 30,0 TP

Docente(s)
- Maria de Lurdes Belgas da Costa Reis
- Luís Francisco Marques da Costa Gaspar
- Rodrigo Emanuel Branco Bertelo

Pré-requisitos
Não aplicável

Objetivos
Conhecer e compreender a especificidade dos incêndios em edifícios urbanos, em edifícios indústrias e incêndios florestais. Conhecer e saber aplicar a legislação de segurança contra incêndios em edifícios. Conhecer as medidas de prevenção para incêndios urbanos, industriais e florestais. Conhecer o comportamento dos materiais e das estruturas sujeiras a altas temperaturas. Conhecer os vários sistemas de deteção de incêndios. Conhecer sistemas de extinção de incêndio com água e com outros agentes extintores. Compreender a importância do controlo de fumos e da ventilação em caso de incêndio. Conhecer sinalização e iluminação de emergência. Elaborar plantas de emergência. Conhecer medidas passivas de proteção de estruturas e de condutas. Conhecer métodos de avaliação do risco de incêndio Avaliar o risco de incêndio em edifícios. Conhecer a dinâmica dos fogos florestais. Conhecer as estratégias do combate a incêndios florestais e industriais. Conhecer e aplicar medidas de controlo de incêndio. Saber interpretar cartas militares. Conhecer procedimentos de Comunicações e de Gestão das Redes de Comunicações de Emergência

Programa
Parte 1
1.Introdução
Considerações sobre alguns incêndios urbanos e industriais. A importância da segurança ao incêndio em edifícios Aspetos a considerar para a segurança ao incêndio em edifícios: - Arquitetónicos - De engenharia civil - Instalações técnicas - Ventilação e controlo de fumos
2. Análise da regulamentação de segurança contra o fogo em edifícios. Análise do RJSCIE e do RSCIE, no que se refere:
2.1. Classificação de locais de risco, utilizações-tipo e categorias de risco
2.2. Condições exteriores de segurança e acessibilidade
2.3. Condições de cálculo do efetivo e de evacuação
2.4. Condições de comportamento ao fogo, isolamento e compartimentação
2.5. Resistência ao fogo dos elementos estruturais e de compartimentação
2.6. Reação ao fogo dos materiais de construção
2.7. Condições das instalações técnicas
2.8. Sinalização de segurança e iluminação de emergência
2.9. Sistemas de deteção e alarme de incêndio
2.10. Controlo de fumo em edifícios
2.11. Meios de primeira intervenção
2.12. Meios de segunda intervenção
2.13. Sistemas de extinção automática por água e por agente extintor diferente da água
3. Segurança frente ao fogo 3.1. O movimento de pessoas e a evacuação de edifícios. 3.2. Conceitos relacionados com a evacuação de edifícios. 3.3 Fatores condicionantes do movimento das pessoas. 3.4. Recomendações genéricas sobre caminhos de evacuação 3.5. O controlo de fumo em edifícios 3.5.1Princípios gerais do controlo de fumos: efeito de impulsão; efeito de chaminé; efeito da expansão térmica; efeito da ação do vento. 3.5.2 Caraterísticas gerais das instalações do controlo de fumos
4. Propriedades dos materiais a altas temperaturas. 4.1. Propriedades de betões e aços em função da temperatura. 4.2. Comportamento ao fogo de elementos de betão, aço e madeira. 4.3. Danos estruturais devidos a incêndio. 4.4. Elementos de compartimentação, resistentes e com função dupla. 4.5 Técnicas de proteção de elementos estruturais.
5. Risco de incêndio em edifícios. 51. Prevenção de incêndio 5.2. Análise do risco de incêndio em edifícios. 5.3. Avaliação do risco de incêndio em edifícios pelo método Arica 2019.
6. Casos de estudo. Os incêndios urbanos em Portugal.
Parte 2
1. Início e Propagação do Fogo, Fogo Florestal; Uso do Fogo;
2. Fatores que afetam o Comportamento dos Incêndios Florestais Combustível; Condições Meteorológicas; Relevo;
3. Comportamento dos Incêndios Florestais Fenómenos físicos que descrevem o comportamento dos incêndios; A dinâmica do incêndio florestal; Principais tipos de propagação do incêndio florestal; Observação de colunas de fumo; Interação dos diversos fatores;
4. Segurança no Combate a Incêndios Florestais Triângulo de segurança; Regras básicas de segurança; A aptidão física, nutrição e hidratação nos incêndios florestais; Efeitos do fumo e da inalação do CO; Equipamento de proteção individual; Regras gerais de segurança; Regras gerais de segurança com veículos; 18 Situações que gritam Perigo; 10 Normas de Segurança; LACES; Fire Shelter.
5. Combate aos Incêndios Florestais Agentes extintores; Meios de extinção terrestres; Meios aéreos; Partes do incêndio florestal; Marcha Geral das Operações; Pontos de situação; Métodos e Táticas de combate; Sistema de Gestão de Operações (SGO)
6. Introdução à Leitura de Cartas Militares à Escala 1:25000 Margens e legendas; Escalas Distâncias e declives; Cálculo de declives; Cota, altitude, curva de nível; Representação do relevo pelo método das curvas de nível; Formas de relevo/orografia; Geodesia; Direções de referência; Coordenadas UTM;
7. Procedimentos de Comunicações Gestão das Redes de Comunicações de Emergência/Proteção Civil; Redes de Comunicação de emergência da ANPC; SIRESP – Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal.

.

Metodologia de avaliação
A avaliação consiste num teste escrito (55%) em que os estudantes deverão obter classificação superior a 9,5 valores e em dois trabalhos práticos (45%). Um dos trabalho consta na aplicação do RSCIE e de uma metodologia de avaliação do risco de incêndio a um edifício. O outro trabalho insere-se no âmbito dos incêndios florestais. Os trabalhos são de entrega obrigatória em todos os momentos de avaliação. A classificação final da U.C. é a que resultar da média ponderada entre a prova escrita e os trabalhos.

Bibliografia
- Leca Coelho, A. (2010). Incendios em Edifi­cios. Lisboa: Orion
- Angle, J. (2008). Firefighting stategies and tactics. Albany: Delmar Thomson Learning
- Castro, A. (2004). Combate a Incendios Urbanos e Industriais. Sintra: Escola Nacional de Bombeiros
- Lei nº 123/2019 - RT-SCIE.(2019, 18 de outubro). Diario da Republica,

Método de Ensino
Aulas expositivas para apresentação dos conteúdos teóricos. Analise técnica do RTSCIE com intervenção crítica dos alunos.
Aulas práticas para conhecimento e manuseamento de equipamentos.
Realização de trabalhos práticos.
Visitas de estudo.

Software utilizado nas aulas
ARICA2019

 

Aprovado em Conselho Técnico Cientifico: 30 de novembro de 2022

Download da Ficha da Unidade Curricular (FUC)

 

 


<< voltar ao Plano Curricular
NP4552
Financiamento
b-on
santander
erasmus
catedra
Financiamentos