IPT Logotipo do IPT

Ano Letivo: 2019/20

Arqueologia, Gestão e Educação Patrimonial

História e Território do Brasil

<< voltar ao Plano Curricular

2 ECTS; 1º Ano, 2º Semestre, 10,0 T + 5,0 TP , Cód. 201440.

Docente(s)
- Maria Madalena Giraldes Barba Pessoa Jorge Oudinot Larcher (1)

(1) Docente Responsável
(2) Docente que lecciona

Pré-requisitos
Não Aplicável.

Objetivos
Sensibilizar e informar os alunos sobre as principais coordenadas e controvérsias da História do Brasil, na relação das suas grandes regiões com a história colonial, a geografia física e humana e a respectiva construção urbana, diversificada mas também sujeita a algumas matrizes comuns.
Procurar-se-á conjugar os principais elementos definidores do Território em cada época, analisando, na história:
1. Os recursos geográficos
2. As populações
3. As sociedades (estratificação social no quadro do Antigo Regime; condicionalismos locais e coloniais; as marcas dos povos da América e de África na sociedade e na cultura)
4. As matrizes urbanas nos seus factores de uniformidade e diversidade.

Programa
1. O primeiro século da colonização: as povoações litorâneas e as duas primeiras cidades reais ? Salvador e Rio de Janeiro. Instruções régias para os traçados urbanos:
1.1. As vilas dos primeiros capitães donatários;
1.2. A fundação de Salvador em 1549, pelo primeiro governador, Tomé de Sousa;
1.3. A fundação do Rio de Janeiro, em 1565, por Estácio de Sá;

2. A interiorização seiscentista e o destaque da expansão portuguesa na Amazónia; as cidades de São Luís do Maranhão e de Belém do Pará: poderes civis e eclesiásticos e respectivas construções:
2.1. São Luís: da fundação, em 1612, pelos franceses, aos finais do século XVII;
2.2. Belém do Pará, da fundação, em Janeiro de 1615, por Francisco Caldeira Castelo Branco, à criação da diocese, em 1720;
2.3. As restantes povoações;
2.4. As expedições ao interior no Estado do Brasil e a fundaçõ de povoados; o papel da pecuária;

3. As cidades do ouro: o seu perfil, reflexo das suas particularidades sociais:
3.1. O fenómeno migratório e a multiplicação de arraais;
3.2. As principais cidades do ouro e suas características;
3.3. Uma sociedade peculiar: os seus reflexos urbanos.

4. As marcas das Luzes no traçado urbano, de 1736 ao século XIX; as implicações do Tratado de Limites de 1750 num novo reordenamento da população e do território e o panorama das vilas pombalinas.
4.1. A fundação de vilas em 1736 e as primeiras marcas das Luzes, em tempos de D.João V;
4.1. O significado do Tratado de Limites num novo reordenamento do território: as grandes questões;
4.2. A questão missionária e jesuítica e a abrupta transição das missões a vilas; o seu traçado e organização.

Metodologia de avaliação
A disciplina contará com uma frequência na qual o aluno precisará da classificação de 10 (dez valores) para dispensar do exame escrito.
A frequência consistirá na resposta desenvolvida a três ou quatro questões integradas nas temáticas da disciplina.

Bibliografia
- Autores Vários, O. (2000). A Construção urbana do Brasil. (Vol. 41). Lisboa: Comissão Nacional para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses
- Holanda, S. (2010). Visão de Paraíso: os Motivos Edênicos no Descobrimento e Colonização do Brasil. (Vol. 1). São Paulo: Companhia das Letras
- MOREIRA, R. (1989). As Fortificações Portuguesas no Mundo. (Vol. 1). Lisboa: Alfa
- Santos, P. (1968). Formação de Cidades no Brasil Colonial. (Vol. V). Coimbra: Universidade de Coimbra

Método de Ensino
A metodologia de ensino conjugará a aula expositiva com diapositivos e esquemas, cartografia e plantas de vilas e cidades do Brasil, do século XVI ao XIX, e citações de documentos relativos às cidades e território do Brasil nesse período.

Software utilizado nas aulas
Não Aplicável.

 

Aprovado em Conselho Técnico Cientifico: 17 de setembro de 2020

Download da Ficha da Unidade Curricular (FUC)

 

 


<< voltar ao Plano Curricular
NP4552
Financiamento
b-on
santander
erasmus
catedra
portugal2020
centro2020
compete2020
crusoe
fct
feder
fse
poch
portugal2030
poseur
prr
republica
UE next generation
Centro 2030
Lisboa 2020
co-financiado