Seminário transdisciplinar PAPER TRAILS: Post-industrial histories, technical memories and art practices in Tomar

 

EDHEA – The Valais School of Art, HES-SO (Switzerland)
IPT – Instituto Politécnico de Tomar (Portugal)


Duração: 13 de outubro de 2021 – 12 janeiro de 2022
Semestre: 1º semestre 2021 ECTS: de acordo com os critérios da instituição (para estudantes)
Língua: Inglês
Formato: 5 sessões, 3 horas (3 x 45 min), quartas-feiras à tarde 13h45-16h00 (horário português)
Plataforma: Zoom
Admissão: chamada aberta
Participantes: até 25 estudantes (de acordo com o seu plano de estudos); Professores e investigadores (de acordo com preceitos de aprendizagem contínua da instituição)
Política de assiduidade: tolera-se a ausência a 10% do total dos seminários.

O papel regista, dobra, apoia, dissolve-se, indexa. Preserva a escrita e espaços em branco, instruções conceptuais, informações de identidade, cartões de registo, registos administrativos e notícias. É, igualmente, um composto de imagens cortadas e superfícies, e pode ser dobrado para criar maquetes. Os vestígios pós-industriais das fábricas de papel reemergiram nos recentes debates artísticos e descoloniais; afetam as reflexões sobre o futuro dos livros e da leitura.

O seminário transdisciplinar PAPER TRAILS inaugura o projeto homónimo do IPT – Instituto Politécnico de Tomar / Centro de Tecnologia, Restauro e Valorização das Artes (TECHN&ART) (Portugal) e da EDHEA – Escola de Artes de Valais (Suíça) financiado pela FCT com a referência UIDB/05488/2020. Aberto a professores/as, investigadores/as e estudantes das duas instituições, o seminário congrega conhecimento e investigação em curso em torno do papel, no seu sentido mais alargado e material.

O seminário consiste em quatro intervenções relacionadas com a história cultural do papel na sua função de apoio administrativo; relacionada com a história dos livros e das práticas artísticas; como documento e apoio a partições e arquivos conceptuais desde a dança ao design; e com a dimensão material – química, de conservação – do papel. Os seminários serão seguidos por uma sessão de Perguntas & Respostas e acompanhados por referências bibliográficas.
A última sessão, a ter lugar no dia 12 de janeiro de 2022, será dedicada a discussões sobre os trabalhos propostos pelos e pelas participantes, em resposta aos tópicos do curso. A sessão dos artigos/trabalhos propostos pelos/as participantes será considerada pelo comité de seleção para a Simpósio que terá lugar em Tomar em maio de 2022.

Aos estudantes serão atribuídos os devidos ECTS depois de confirmada a sua presença, assiduidade e concretização da tarefa proposta. Os/as professores/as e investigadores/as que queiram frequentar os seminários numa perspetiva de Avaliação ao Longo da Vida ficam escusados/as da realização da tarefa e ser-lhes-á emitido um certificado de frequência no fim do curso.

_

Seminário 1,
13 de outubro de 2021
Dagmar Riedel, Limited Storage

Dagmar Riedel é uma historiadora cujo trabalho se centra no Médio Oriente, examinando a relação entre as crenças religiosas e as atitudes sociais perante a produção de conhecimento, de forma a avançar o nosso entendimento sobre como este é gerado, transmitido e como muda ao longo do tempo. O objetivo mais geral da sua investigação é desafiar as premissas essencialistas sobre a estagnação intelectual e o declínio da civilização islâmica depois das conquistas mongóis. Atualmente encontra-se a trabalhar numa monografia sobre a emergência da literatura devocional no Islão pós-clássico, apoiando-se na tradição manuscrita excecionalmente rica do Kitab al-shifa? bi-ta?rif huquq al-Mu??afa do jurista Norte Africano do século XII al-Qa?i ?Iya?.

A Doutora Riedel tem um Magister Artium em Estudos Islâmicos e Estudos Alemães (Universidade de Hamburgo) e um doutoramento em Línguas e Culturas do Próximo-Oriente (Universidade do Indiana). Entre 2007 e 2019 foi investigadora associada no Centro de Estudos Iranianos da Universidade de Columbia (Nova Iorque), onde fez parte da equipa editorial de Ehsan Yarshater da Encyclopædia Iranica. A sua tese Em busca da episteme Islâmica: O estatuto da informação histórica na escrita antológica medieval do Médio-Oriente recebeu o prémio anual de tese de doutoramento da Foundation for Iranian Studies. Foi detentora de bolsas da Biblioteca Chester Beatty em Dublin e do Union Theological Seminary em Nova Iorque. Entre 2017 e 2019 foi-lhe atribuída uma bolsa Marie Curie no Concílio Nacional Espanhol de Investigação em Madrid.

_

Seminário 2,
3 de novembro de 2021
Leonor Loureiro, The Paper World and the Paper Conservator

Leonor Loureiro é uma conservadora de papel, especializada em objetos de papel 2D e 3D / Arte em papel cuja investigação recente se foca nos desenhos e caricaturas do escultor português Delfim Maya. Foi Professora Adjunta no Politécnico de Tomar e coordenadora do laboratório de conservação de papel entre 2008 e 2019. Conviveu com o vasto mundo da conservação do papel e com a necessidade do/a conservador/a se desdobrar em tarefas e de procurar sempre conhecimentos e competências.

e

Maria José Ferreira Santos, An Brief Approach to the History of Paper in Portugal

Maria José Ferreira Santos é licenciada em História, pós-graduada em Museologia e Mestre em História Moderna pela Universidade do Porto. Investigadora da História do Papel e Marcas de Água, foi responsável pelo programa museológico do primeiro museu dedicado ao papel em Portugal (Paços de Brandão), inaugurado em 2001 e diretora do mesmo até 2012. Atualmente, continua ligada a este projeto como consultora científica. Em 1997 publicou o livro A Indústria do papel em Paços de Brandão e Terras de Santa Maria e em 2015 o livro Marcas de Água século XIV e XIX.

_

Seminário 3,
24 de novembro de 2021
Sarah Burkhalter, Dancing on paper

Sarah Burkhalter, doutorada, é diretora do Antenne romande do Instituto Suíço para a História da Arte (SIK-ISEA) em Lausanne e é membro do comité executivo do SIK-ISEA. A sua investigação foca-se nos pontos de encontro entre a dança e as artes visuais, nas partições e na coreografia como design conceptual, um ângulo que tem vindo a explorar em conjunto com Laurence Schmidlin no seu livro Spacescapes. Dance & Drawing since 1962 (2017).

_


Seminário 4,
15 de dezembro de 2021
Uriel Orlow,

Uriel Orlow é um artista suíço que vive e trabalha em Londres e Zurique. Estudou Belas-Artes na Central Saint Martins College of Art & Design e na Slade School of Art em Londres e Filosofia na Universidade de Génova. Foi galardoado com um prestigiado prémio de arte suíço em 2008 e em 2009.

Owlow expôs prolificamente na Grã-Bretanha, na Suíça e internacionalmente, incluindo com projetos individuais na Laure Genillard em Londres (2010), Les Complices em Zurique (2009), Habres & partner em Viena (2009), no Museu Judaico de Nova Iorque (2008-9), Blancpain Art Contemporain de Génova (2008-9) e na Argos Bruxelas (2008).

Exposições colaborativas mais recentes incluem Calling all the Stations na Galeria Nacional do Kosovo, Hollywood Wonderland na Seventeen Gallery em Londres, o Prémio de Desenho Jerwood em Londres, a terceira Trienal de Guangzhou no Museu de Arte de Guangdong, Retracing Territories, Fri-Art, Fribourg, Hidden Traces no Museu Felix Nussbaum em Osnabrück e Around the World in 80 days no Instituto de Arte Contemporânea (ICA) em Londres.

Os filmes de Orlow foram exibidos na Tate Modern em Londres, no Festival Internacional de curtas-metragens de Oberhausen, Tank tv, na Galeria Whitechapel em Londres, no Festival Cinematográfico de Locarno, no Videonale Kunstmuseum Bonn, BFI London, na BBC Big Screen em Manchester, Arnolfini Bristol e na Bienal da Imagem em movimento de Génova.


Seminário 5,
12 de Janeiro de 2022
Comentários acerca dos trabalhos submetidos pelos/as estudantes


Recomenda-se que os e as participantes tenham, pelo menos, o nível B2 de língua inglesa a fim de facilitar a interação e a realização da tarefa a ser proposta.

O link zoom será posteriormente partilhado com todos/as os/as participantes.

Link para registo:  https://forms.gle/f5Vg6mFg6hYBF3t87

 

^ Topo