Centro de Empreendedorismo e Inovação

Enquadramento

 CENTRO DE EMPREENDEDORISMO E INOVAÇÃO

Artigo 1º

Definição

O CEI – Centro de Empreendedorismo e Inovação do Instituto Politécnico de Tomar é uma estrutura criada no seio do IPT e que depende diretamente da Direção da ESGT.

Artigo 2º

Objetivos

O Centro de Empreendedorismo e Inovação (CEI) tem como finalidade:

1. Promover o empreendedorismo e a criação de empresas de base tecnológica e inovadoras;

2. Fomentar o desenvolvimento e partilha de competências empreendedoras, permitindo a aproximação à realidade empresarial;

3. Apoiar o desenvolvimento de ideias de negócios;

4. Desenvolver e estabelecer relações privilegiadas com outras redes de apoio e promoção do empreendedorismo;

5. Proporcionar aos empreendedores (com ligações à comunidade académica) um conjunto de serviços e condições que contribuam para o êxito das suas iniciativas, potenciando o desenvolvimento de competências e a inserção no mercado de trabalho, promovendo o empreendedorismo e a criação do próprio emprego;

6. Criar condições para o desenvolvimento de planos de negócios de empresas e para o acolhimento de projectos de investigação e desenvolvimento, que fomentem e propaguem a inovação no seio da atividade económica.

7. Promover acções de formação, workshops e ações de divulgação/promoção da atividade do CEI;

8. Realizar e participar em conferências ou outros eventos que promovam o empreendedorismo, tecnologia e inovação;

9. Estabelecer protocolos e parcerias que aproximem o CEI às empresas e outras entidades do meio envolvente.

Artigo 3º

Atividades

As actividades do CEI são:

1. Prestar todo o apoio técnico especializado em gestão, ajudando o empreendedor na execução do plano de negócios e seus componentes, no processo de constituição legal da empresa e na candidatura formal para a sua instalação no CEI;

2. Colocar à disposição do empreendedor um conjunto de meios que lhe permitam dar corpo à sua ideia, nomeadamente, facilitando o acesso a um núcleo de trabalho, sala de reuniões, serviços de comunicação e secretariado, biblioteca, etc., inserindo-o num ambiente propício à inovação;

3. Promover programas de formação e consultadoria de apoio à criação de empresas de cariz empreendedor e inovador;

4. Desenvolver acções de formação, dentro e fora da comunidade académica, destinadas a fomentar e propagar o empreendedorismo na região

5. Participar em concursos nacionais e internacionais que se realizem no âmbito das actividades que constituem o seu objecto;

6. Desenvolver ações de Peer Mentoringe programas de Boot Camp;

7. Realizar estudos sobre o empreendedorismo na região e em Portugal;

8. Prestar todo o apoio técnico especializado em gestão, colaborando com os diversos órgãos do IPT, em projectos que se realizem no âmbito das actividades que constituem o seu objecto.

Artigo 4º

Estrutura orgânica

O CEI é constituído por um Comité Técnico constituído por docentes do IPT, coordenado por um dos seus membros. O Coordenador do CEI é designado por despacho da Directora da ESGT e os integrantes do Comité Técnico são indicados pelo Coordenador do CEI.

Para efeitos processuais, terá à sua disposição um Secretariado a designar por despacho da Directora da ESGT.

Artigo 5º

Competências do Comité Técnico

O Comité Técnico tem por missão assegurar a prossecução dos objectivos definidos no Artigo 2º do presente Regulamento e outros que para tal venha a ser incumbido.

Artigo 6º

Meios à disposição do CEI

Com vista à boa execução das competências atribuídas, o CEI poderá:

1. Contar com o apoio logístico do Secretariado do CEI;

2. Solicitar, quando o considerar indispensável, e para tarefas específicas, a colaboração de outros docentes do IPT, podendo ser criadas Comissões de Trabalho com funções específicas;

3. Contar com o apoio logístico e técnico de outros Centros ou Gabinetes pertencentes ao IPT, em regime de colaboração mútua;

4. Solicitar, para o Coordenador, redução horária semanal no horário lectivo, como contrapartida das funções exercidas neste cargo.

Artigo 7º

Despesas e receitas

As despesas de funcionamento e as actividades do CEI serão suportadas pelo IPT, desde que previstas e cabimentáveis nas actividades e orçamentos das mesmas, devidamente aprovadas pela Directora da ESGT.

O CEI procurará assegurar financiamento alternativo, nomeadamente através de receitas provenientes de:

1. Atividades desenvolvidas para a comunidade empresarial e outras entidades do meio envolvente;

2. Candidaturas a programas institucionais nacionais ou europeus;

3. Mecenato.

Artigo 8º

Dúvidas de interpretação e casos omissos

As dúvidas de interpretação, bem como os casos omissos, serão resolvidos por proposta do Coordenador sujeitas a despacho da Directora da ESGT.


 

^ Topo