Artes Aplicadas

 

Conservação e Restauro

4 ECTS; 1º Ano, 2º Semestre, 30,0 T + 15,0 TP + 2,0 OT

Docente(s)
- Fernando dos Santos Antunes
- Ana Rita de Sousa Gaspar Vieira
- Ricardo Pereira Triães

Pré-requisitos
Não aplicável

Objetivos
Conhecer a importância das artes aplicadas em Portugal e seu contributo para a definição da identidade nacional.
Identificar as técnicas de produção das mesmas, assim como os principais materiais e a sua evolução artística.

Programa
1. A retabulística e as diversas artes da talha
1.1. Tipologias
1.2. Características técnico-artísticas
1.3. A evolução estilística e de gostos
2. Os tectos em madeira dourada e policromada
2.1. Tipologias
2.2. Características técnico-artísticas
2.3. A evolução estilística e de gostos
3. O mobiliário
3.1. Tipologias
3.2. Características técnico-artísticas
3.3. Outras artes aplicadas na produção do mobiliário
3.4. A evolução estilística e de gostos
3.4.1. As influências da produção continental europeia
3.4.2. As influências da produção além-mar resultantes do encontro de culturas intercontinentais
4. A cerâmica utilitária e decorativa
4.1. A produção de Faiança
4.2. A produção tradicional e a industrialização
4.3. Os motivos decorativos, cromatismo e tipologias
4.4. A fábrica da Vista Alegre e produção da porcelana
5. A cerâmica de revestimento
5.1. A produção azulejar em Portugal
5.2. As técnicas de produção, vidragem e pintura
5.3. O azulejo de padrão
5.4. O azulejo figurativo
5.5. A azulejaria industrial e a disseminação do azulejo de fachada
5.6. O azulejo contemporâneo
6. Cerâmica arquitetónica decorativa
6.1. Tipologias e utilização nos edifícios
7. A tapeçaria
7.1. Pensamento e linguagem plástica - a relação entre a técnica e a ideia
7.2. Como espaço de representação
7.3. Uma perspetiva contemporânea
8. O papel de parede
8.1. Uma breve visão histórica
8.2. William Morris – o movimento Arts & Crafts.

Metodologia de avaliação
A avaliação resulta da média ponderada de 3 trabalhos escritos, um por cada docente, sobre 3 tipologias distintas de bens culturais.
Os alunos que não entregarem a totalidade dos trabalhos ou que a média ponderada seja inferior a 10 valores, serão admitidos a exame. A metodologia de avaliação é a mesma, quer para a época de avaliação contínua, quer em época de exame.
O aluno fica dispensado de exame com nota igual ou superior a 10 valores.
Cada um dos 3 trabalhos escritos tem como limite 1000 palavras de texto (excluindo título, índice, legendas e bibliografia). É obrigatório o recurso a imagens ilustrativas dos bens, e podem ser complementadas com outro tipo de registos.

Bibliografia
- Ferrão, B. (1990). Mobiliário Português. (Vol. 1-4). Porto: Lello & Irmão
- Lameira, F. (2005). Retábulos (...). (Vol. 1-15). Faro: CPM - Histório da Arte
- Meco, J. (1993). O azulejo em Portugal. Lisboa: Alfa
- Harper, C. (2004). Craft Histories, Textile Futures: emotional affectivity and design hybridity in quilt. Melbourne: Monash University

Método de interação
Os conteúdos programáticos são expostos com recurso a apresentações de textos, imagens, dados analíticos, objectos, amostras ou trabalhos artísticos.

Software utilizado nas aulas
Não aplicável